Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O BANCO DE JARDIM

por Kok, em 13.04.11

Sou um banco de jardim sem jardim!

 

Sem flores, sem pássaros nem canteiros,

Sem casais de namorados

Nem velhas fazendo rendas;

Nem velhos apanhando sol

Nem outros somente sentados.

Sem um lago com peixes vermelhos,

Brancos, amarelos ou dourados…

 

Sou um banco de jardim, sem jardim!

 

Estou entre pedras de calçada,

Brancas… frias… inertes…

Outras não tendo por companhia.

Porque todos os que por mim passam

Fazem-no à pressa, correndo,

Sem emoções nem alegria.

 

Sou um banco de jardim, sem jardim!

 

Passam por mim sem me verem,

Sem saberem que existo.

Estou abandonado, eu sei!

Podiam ter-me dado outra cor,

Outra forma, outro vigor,

Outro local para estar,

Para ser apreciado,

Onde fosse acolhedor.

 

Sou um banco de jardim, sem jardim!

 

Não sei o que faço aqui,

Na esquina desta rua,

Nesta calçada nua,

Onde só passam os cães

E a solidão se acentua!

 

Sou um banco de jardim sem jardim!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:54


4 comentários

De maria a 14.04.2011 às 22:41

Muito bonito :)))

Estava aqui a pensar que responder ao banco, mas...

Volto mais tarde :)

Beijinho :)

De Kok a 24.04.2011 às 11:21

Gostei que gostasses. (Isto pode dizer-se, assim?)
E cá fico à espera para ler o que possas responder ao banco que, coitado, ali está posto (não em sossego mas) ao abandono!
Inté!

Beijokassss doces quem nem amêndoas do coelho da Páscoa (eheheheh)

De DyDa/Flordeliz a 21.04.2011 às 18:13

Sois um banco de jardim
Num canteiro empedrado
Inútil transformado enfim
Num objecto indesejado

Tua serventia e adorno
Passou a um simples mono?
Se ninguém o vai usar
É porque não há nada a mostrar!

Ó gente que trabalhais
Não vedes? Vós não pensais?
O banco que aqui deixaste
Nem serve de poiso a pardais!

Não tem sombra, não tem vista?
Não tem paragem por perto?!
Então de que serve sentar...
Para aguardar tempo incerto?!

Será que acabou o jardim
Os animais e as flores
Não há cafés, esplanadas
Ou fizeram bancos a mais?
Gente cansada há certamente
De ideias e idiotas e,
Tantas coisas tortas!...

Bom descanso em época de feriados
Nesse banco(?)...ou noutro mais a preceito
Em local menos sisudo
Onde haja um pouco de tudo
Para alegrar o olhar

Abraço

De Kok a 24.04.2011 às 11:27

Obrigado!!
É muito bonito o teu poema "reconfortando as mágoas e as desilusões daquele pobre banco infeliz"!
Gostei imenso, muito mesmo.

Beijokassss e sorrisos

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930




Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D