Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A HORA DO PÃO

por Kok, em 13.05.09

Eram três horas da manhã e o pão ainda não tinha saído do forno!

Todos em redor pareciam alheados, olhos mortiços mirando o vazio, sem quaisquer perspectivas futuras, como se dependesse do pão o seu próprio futuro.
E não seria assim mesmo? Sem aquele pão poderiam mesmo ter futuro?
Os próprios padeiros, encostados aqui e ali, olhavam o forno numa mistura de ansiedade, de conformação e de desespero por não verem o seu trabalho terminado, parecendo que o próprio forno lutava contra eles e contra o tempo que por norma já teria sido mais do que suficiente para cozer o pão que todos esperavam para uma primeira dentada a que outras inevitavelmente se seguiriam!
Alguns de entre os “esperantes” esboçavam movimentos indefinidos, denunciando o início do desespero ou a angústia que começavam a possui-los pelo tempo de espera inusual, bocejando a espaços, e estendendo os membros na procura de uma mais confortável posição preparando-se para mais alguns momentos de espera, acreditando serem poucos.
Subitamente a porta do forno range, estremece e com um pequeno solavanco entreabre-se ligeiramente deixando sentir algum calor misturado dum agradável odor a pão cozido, quente e tostado, que todos simultaneamente inalam; mas estacou! Nem mais um movimento!
Num salto todos os padeiros se precipitam para a porta do forno e não sem um certo esforço seguram-na e iniciam um movimento de recuo, puxando-a até ficar totalmente aberta, mostrando o interior avermelhado coberto por uma considerável quantidade de pães, redondos e achatados, tostados e de crosta quebradiça, que a todos esperavam para a primeira e única refeição diária.
Os olhos dos que esperavam, até aqui mortiços e ausentes, ganham vida; lentamente e dir-se-ia sincronizados, todos os iniciam gestos para se levantarem e aproximarem da porta do forno, sem pressas nem atropelos, sabendo antecipadamente que a pressa não só não lhes dará mais pão como lhes não proporcionará mais energias, antes pelo contrário; correrias mais pão lhes exigiria e sabem por experiência que isso não acontece nunca.
O dia do pão é sempre igual; a excepção é a hora a que fica pronto e nunca a quantidade que cada um deles recebe.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:48


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2009

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D